Entrevista com o produtor Synthwave Johan Hauck, da 2DCat

Autor do contato

Johan Hauck é uma parte do grupo synthwave conhecido como 2DCat. Sua música não é apenas influenciada por artistas clássicos do New Wave como Joy Division, The Smiths e New Order, mas também pela arte de 8 bits e outras mídias gráficas. Conversei com ele sobre como ele começou a fazer música, a abordagem do 2DCat para a criação de novas músicas e seu último EP Summer, 1983.

Karl Magi: Como você começou a fazer música?

Johan Hauck: Em 1999, eu morava em Tóquio. Eu me encontrei com alguns expatriados australianos e alguns japoneses lá e começamos a fazer música industrial EBM underground. Era estranho na época porque a música não era popular no Japão na época. Nós queríamos fazer isso e sentimos que Tóquio precisava de uma cena. Criamos um clube lá e fizemos isso por bons dez anos. Eu saí disso para começar a fazer música synthwave alguns anos atrás.

KM: Quais são os elementos da música synthwave que o atraem a fazê-lo?

JH: É uma pergunta interessante, porque parece que todo mundo considera algo diferente. Eu diria que minha música é mais synthpop, mas quem sabe? Para mim, é sobre aquele sentimento nostálgico dos anos 80 e levá-lo de volta a esse gênero de música e a esse período de tempo. Outras pessoas provavelmente o caracterizariam como algo diferente.

KM: Quem são as pessoas que mais influenciaram você como criador de músicas?

JH: Em termos musicais, eu diria que as pessoas que costumo ouvir são Depeche Mode, The Smiths e Morrissey, Joy Division, New Order e Pet Shop Boys. Essas seriam as bandas que eu ouviria se apenas saísse para correr ou no metrô fosse trabalhar.

Eu diria que sou mais influenciado pela arte na minha música do que em outros músicos. Como você pode ver, o Pet Shop Boys seria o mais próximo do que eu faço musicalmente, mas eu diria que os artistas que freqüentam os fóruns C-SPAM de Something Awful seriam a maior inspiração para mim. Eu conheço Al! faz algumas obras de arte muito boas no domínio de obras de arte de 8 bits. O Twoday faz muitos gráficos de impressão realmente bons, então eu gostaria que essas fossem as pessoas das quais eu me inspirasse mais do que a própria música.

KM: Como você aborda a criação de novas músicas em geral?

JH: Depende realmente e está sempre evoluindo. Temos um novo guitarrista, o que adicionou uma nova dinâmica à música. Normalmente, Chloe ou outra pessoa me dará vocais e eu usaria isso como inspiração para criar uma música. Também foi o contrário recentemente, onde nosso guitarrista disse: "Apenas me diga o que você está pensando e nós iremos a partir daí". Eu acho que, como a maioria das pessoas, tenho cerca de 90 músicas que nunca verão a luz do dia. Fora dessas músicas, vou encontrar uma em que acho que há algo lá e construo a partir daí.

KM: Conte-me mais sobre o seu EP de verão de 1983 e como ele se formou?

JH: Eu tenho um sintetizador Sequential Circuits Pro One recentemente. Estou me divertindo muito bem com isso, é muito bom para o baixo. Aquele sintetizador realmente levou esse álbum. Foi uma chance de realmente criar um álbum em torno desse som. Eu me senti como uma boa contrapartida para o Pro One foi o sintetizador Roland MKS 50. É um sintetizador incrível para sinos e algumas pistas realmente estridente. Estava diminuindo a memória para todos os sintetizadores antigos e encontrando uma maneira de mesclá-los.

KM: O que o futuro reserva para o 2DCAT?

JH: Temos algumas novidades interessantes na programação. Nosso novo guitarrista está realmente empolgado por fazer parte do projeto. Sua formação é no death metal sueco, de modo que a experiência será hilária e incrível ao mesmo tempo. Temos um novo EP no qual estamos trabalhando agora e está se unindo muito bem. Estamos planejando fazer muitos shows ao vivo na costa leste nos próximos meses e espero lançar o novo EP em cerca de três meses. Provavelmente faremos um novo lançamento completo depois disso.

Este novo EP é um dos melhores trabalhos que eu acho que fizemos, então estou interessado em ver qual será o feedback. Também estamos fazendo uma oferta agora, então estamos distribuindo cinco cassetes e duas das camisetas oficiais. Você pode encontrá-lo em 2DCAT.com/giveaway.

KM: Como você acha que a cena do synthwave está indo ultimamente?

JH: É uma cena cheia de gente e isso me lembra muito a velha cena musical industrial / EBM. Ninguém sabia o que era EBM, o que era industrial e o que era aggrotech. A cena synthwave atual tem semelhanças, pois há muito debate sobre synthwave vs. synthpop vs. retrowave vs. dreamwave. Eu olhava o que aconteceu naquela cena do final dos anos 90 até hoje para ver o que está acontecendo na cena synthwave. Estou realmente empolgado porque está ficando popular.

Eu sei que algumas pessoas querem que seja o seu pequeno segredo, mas ver o quão popular está se tornando realmente me faz feliz porque me lembra um momento muito bom da minha vida. Muitos dos sintetizadores que uso são desse período e cresceram usando. Para mim, mesmo quando eu estava no hiato, eu ainda estava usando esses sintetizadores só porque eles me fizeram feliz, óbvio ao conhecimento de que havia uma cena crescente de ondas sintéticas. Eu realmente nunca pensei que teria muito público, então estou feliz com o crescimento. Estou realmente empolgado por ver muitos dos grandes artistas por aí começando a se sair bem.

KM: Como você se recarrega de forma criativa?

JH: Eventualmente, chego ao ponto em que escuto a música que faço há tanto tempo que não quero nada com isso. Nesse momento, estarei nos fóruns do C-SPAM procurando novas inspirações por lá. Eu tento fazer algumas viagens para fugir da área de DC, porque ela tende a ser incrivelmente fria ou muito úmida. Eu gosto de viajar para Miami e Caribe e beber bebidas tiki e parece que a combinação de todas essas coisas me deixa recarregada e querendo escrever novamente a música dos anos 80.

Etiquetas:  Educação arte relacionamentos 

Artigos Interessantes

add